fbpx

Diário de um Residente | Capítulo 12

Diretor Técnico: Dr. Hamilton Moreira – CRM 9388 / RQE 2872

Diário de um Residente, capítulo 12: a cada dia uma nova experiência para os nossos residentes, e nessa semana não foi diferente! O residente Gustavo Bauermann nos contou sua experiencia em acompanhar a cirurgia de transplante corneano do tipo DSEK. Confira!

“Nesta semana acompanhei uma delicada e trabalhosa cirurgia de transplante corneano do tipo DSEK (ceratoplastia endotelial com desnudamento da descemet), onde o professor Felipe Branco fez um belo preparo da córnea junto com o Dr Murilo Kniggendorf na realização da cirurgia. É gratificante poder ver de perto tamanho profissionalismo e dedicação!”.

Diário de um Residente | Capítulo 12: residente Gustavo Bauermann
Diário de um Residente | Capítulo 12: Residente Gustavo Bauermann

Cirurgia de transplante corneano

Antes de tudo, é importante falar que a córnea é a parte mais externa, localiza a frente do nosso olho. Ela precisa ser transparente para receber a luz que irá atravessar o globo ocular e atingir a retina para formar a visão, e forte para proteger a área interna do olho contra traumas e infecções. Quando algum problema afeta a córnea (como infecções, alergias ou comprometimento da qualidade e/ou quantidade da lágrima), a função normal dessa estrutura é alterada, e isso pode levar a baixa visão. Em alguns casos, é preciso realizar a cirurgia para o transplante de córnea.

Existem 3 tipos de procedimento cirúrgico para o transplante de córnea, são eles:

Ceratoplastia Penetrante

essa técnica cirúrgica consiste em retirar toda a estrutura da córnea do paciente e subsistir pela córnea do doador. Ou seja, a córnea doada é moldada até ter o tamanho correto, e toda a córnea lesionada é retirada para que a córnea doada seja suturada no local. Entretanto, esse procedimento mesmo que o paciente não tenha toda espessura afetada, ainda assim há a substituição de todas as camadas da córnea;

Ceratoplastia endotelial com desnudamento da Descemet (DSEK)

Ceratoplastia endotelial com desnudamento da Descemet ou ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet.

Esse procedimento cirúrgico consiste em remover e substituir apenas as camadas internas da córnea do que a córnea inteira. Ou seja, algumas doenças da córnea acabam afetando apenas a camada interna, e nesses casos, realizar a Ceratoplastia Penetrante não seria tão indicado, tendo em vista que somente parte da estrutura precisaria ser removido. Por isso, para essas doenças o oftalmologista opta por realizar um transplante de córnea parcial.

Além disso, a incisão é pequena, menos suturas são necessárias e o processo de cicatrização ocorre de maneira mais rápida. Por isso, em comparação aos dois procedimentos, com essa técnica a visão acaba melhorando mais rápido do que quando a córnea inteira é substituída.

Ceratoplastia Lamelar

Essa técnica é utilizada no tratamento de patologias que afetam a região anterior. Ou seja, em casos onde a doença é seletiva em relação ao acometimento, há a troca apenas da parte externa da córnea, preservando o impermeabilizante do paciente, e assim diminuindo os índices de rejeição.

Gostou do artigo? Saiba mais sobre o transplante de córnea, clicando aqui.


Confira outros capítulos do Diário de um Residente:


Médicos de Olhos S.A, Um Olhar de Confiança!

Encontre-nos nas redes sociais:

         

 

Gostou do artigo? Inscreva-se e nunca perca uma atualização

Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a saber, através do seu e-mail, sempre que publicamos uma nova notícia no portal.