34% dos brasileiros nunca foram ao oftalmologista

34% dos brasileiros nunca foram ao oftalmologista. Portanto, conheça as graves consequências de quem não previne doenças oculares.

34% dos brasileiros nunca foram ao oftalmologista

Uma pesquisa feita pelo Ibope – encomendada pela Alcon, líder global em cuidados com a visão, com apoio do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), aponta que 34% da população brasileira adulta nunca foi ao oftalmologista. Para o oftalmologista e diretor do Médicos de Olhos S.A, Hamilton Moreira, a prevenção não uma cultura estabelecida no Brasil. Além disso, boa parte da população tem dificuldades financeiras, que impossibilitam avaliações e acompanhamento de saúde. “As pessoas acabam priorizando outras coisas. Cuidar da saúde, de forma preventiva, é muito raro no Brasil”, conta o médico. Para ele, os pequenos avanços na prevenção de câncer de mama, ou de próstata, vem das frequentes campanhas de conscientização.

Que tal testar sua visão agora?

Mas, deixar o exame dos olhos para depois pode gerar uma série de doenças – que poderiam ser tratadas de forma simples – com sequelas irreversíveis. Isso inclui a cegueira. Portanto, os especialistas sugerem uma atenção especial aos olhos em três períodos da vida:

Na primeira infância: um exame oftalmológico perto dos cinco anos de vida é importante. O aprendizado, e até o desenvolvimento psicossocial da criança, pode ser afetado se a visão não estiver adequada. Existem diversos exemplos de crianças hiperativas, ou extremamente tímidas, por conta de problemas de visão não corrigidos.

Na adolescência: existem muitos problemas nesta idade, e a boa visão evita comportamentos sociais inadequados. Portanto, uma atenção especial na parte estética também é importante nesta fase. Muitos adolescentes preferem enxergar mal do que usar óculos. Contudo, existem cirurgias e lentes de contato que podem resgatar a auto-estima.

A partir dos 45\50 anos: é a fase em que aparece a presbiopia, também chamada de “vista cansada”. Ou seja, a pessoa precisa de óculos para ler e, por coincidência, também é nesta fase da vida, que aparecem outros problemas nos olhos. Um exame de fundo de olho previne quase todos eles e faz parte da rotina do consultório de um oftalmologista. “Esse exame é simples, indolor e não tem riscos para o paciente. O oftalmologista observa o nervo óptico e os vasos do fundo de olho. Além disso, ele avalia se há depósitos de gordura nas artérias, riscos de glaucoma, ou suspeita de diabetes. É um exame pouco difundido e muito importante”, avalia o Dr. Hamilton, que reforça que a consulta ao oftalmologista pode resgatar a qualidade de visão e, consequente, a qualidade de vida. A prevenção de doenças graves como o glaucoma, retinopatia diabética e catarata são bônus que vem com as visitas preventivas periódicas.

Vista cansada

Quando questionados sobre as doenças oculares mais comuns, os participantes da pesquisa citada acima demonstraram desconhecimento em relação ao tratamento da “vista cansada” (a presbiopia). Você se lembra como enxergava aos 20 anos de idade? Tarefas corriqueiras, como ler um livro, eram mais fáceis e prazerosas. A presbiopia tira esse prazer, pois um texto curto se torna cansativo, e chega a dar sono. Além disso, o uso excessivo do computador aumenta o problema de lubrificação ocular, que agrava as coisas.

Como a presbiopia aumenta a dificuldade para enxergar de perto gradativamente, o ideal é consultar o oftalmologista uma vez ao ano. “Poucos seguem desta forma. Mas, pelo menos a cada dois anos, é necessária atualização do grau dos óculos para presbiopia, e o exame do fundo de olho preventivo”, reforça Moreira. Para ele, envelhecer com problemas de visão é triste, e muito frequente. “A diminuição da visão na velhice aumenta a depressão, agrava a hipertensão arterial sistêmica, e diminui a sobrevida das pessoas. Existem diversos estudos comprovando a diminuição do número de medicação antidepressiva em pacientes que operaram a catarata e voltaram a enxergar as cores vivas”, completa o médico.

Agende já a sua consulta pelo telefone/WhatsApp: (41) 3020-4646

Diretor Técnico: Dr. Hamilton Moreira – CRM 9388 / RQE 2872

Encontre-nos nas redes sociais:

         

 

Gostou do artigo? Inscreva-se e nunca perca uma atualização

Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a saber, através do seu e-mail, sempre que publicamos uma nova notícia no portal.